segunda-feira, 4 de abril de 2011

Denotação e Conotação

 Denotação e Conotação

 Denotação - é o emprego de uma palavra no seu sentido próprio (sentido denotativo). Ex.: O médico operou o coração do menino. Coração tem o sentido real.

 Conotação - é o emprego de uma palavra em sentido figurado (sentido conotativo). É o sentido que a palavra adquire dentro de um contexto. Ex.: A Língua Portuguesa é o coração da cultura brasileira. Coração tem sentido figurado.



Denotação   X  Conotação

Denotação
Significado restrito,
impessoal
Palavra:sentido do dicionário
Linguagem simples, precisa, impessoal
Valor usual
Conotação
Significado amplo, vários sentidos
Palavra:sentidos diversos, transpõem o sentido comum
Linguagem literária, expressiva, modo criativo, artístico
Valor literário


 Frases com sentido denotativo (D) e sentido conotativo (C):

 O menino quebrou a vidraça. D
 O aluno quebrou o silêncio. C


 Eles saíram à caça da raposa. D
 Aquele advogado é uma raposa. C

 A mãe de Bernardo estava na cozinha. D
 A preguiça é a mãe de todos os vícios. C


 Uma pedra rolou da encosta. D
 Você é uma pedra no meu sapato. C

 As estrelas do céu brilhavam. D
 As estrelas do cinema brilhavam. C


 O coração bombeia o sangue e o faz circular por todo o corpo. D
 Construíram a cidade no coração do país.









 Hoje fez muito frio. D
 Ele era um homem frio e calculista. C

 O blusão está seco. D
 Aquele homem é muito seco. C

 Ela fez plástica no nariz. D
 Ele mete o nariz em tudo.C











 A casa de Augusto pegou fogo. D
 O fogo da paixão crescia. C

 Maré alta sob a lua cheia. D
 Não adianta remar contra a maré. C

  O sapo é um anfíbio. D
  Ele está cansado de engolir sapo. C

 Luisinho adora comer pão. D
 O ordenado dele mal dava para garantir o pão de cada dia. C







 Felipe cavou um poço de 20 metros. D
 Juliana é um poço de bondade. C


 Laura tem olhos azuis. D
 Comer com os olhos. C






 

 A denotação e conotação na literatura:

 Belo é o mundo

 "Belo é o mundo. D
 Belos os campos, vales e cidades. D
 Mas cega é a carne. C
 E cega é a alma..." C
                                                ( Alphonsus de Guimaraes Filho)

 "neste lance, por ser o derradeiro,
 pois vejo minha vida anoitecer, C
 é, meu Jesus, a hora de se ver
 a brandura de um pai, manso cordeiro"...
                                                       
                                                 ( Gregório de Matos)

 Pororoca

 "Noite pontual. C
 Lua cheia apontou, pororoca roncou. C
 Vem que vem vindo como uma onda inchada. C
 rolando e embolando. D
 com a água aos tombos..." C

                                                ( Raul Bopp)

 Cantigas praianas

 "...Beijando a areia, batendo as fráguas, C
 Choram as ondas; choram em vão: C
 O inútil choro das tristes águas C
           Enche de mágoas
           A solidão..."

                                               ( Vicente de Carvalho )

  Soneto de abril

 "Agora que é abril, e o mar se ausenta, C
 secando-se em si mesmo como um pranto, C
 vejo que o amor que te dedico aumenta. D
 seguindo a trilha de meu próprio espanto..." C

                                                  ( Ledo Ivo)







6 comentários: